Dicas e artigos  >  FILTRO DE BARRO TEM EFICIÊNCIA COMPROVADA

FILTRO DE BARRO TEM EFICIÊNCIA COMPROVADA

textos
textos

A alta eficiência é determinada pelo elemento filtrante em cerâmica, que filtra a água por gravidade

   O filtro de barro que já dominou as cozinhas de alguns lares em décadas passadas está de volta. O item chegou a perder espaço no mercado, porém, devido à alta eficiência na filtragem da água, voltou a ser necessidade em muitas residências do país.

Segundo o diretor superintendente da Cerâmica Stéfani, Emilio Garcia Neto, a água a ser filtrada é colocada no reservatório superior e, através do elemento filtrante, retira as impurezas, bactérias e o cloro. “O nosso filtro retira partículas maiores que 1 micro e mais de 75% do cloro da água. 

   A eficiência do filtro é determinada pelo elemento filtrante em cerâmica, que filtra a água por gravidade, praticamente gota a gota”, explicou.

Ainda de acordo com Neto, a maioria dos filtros do mercado não retira partículas pequenas. “Ou seja, o nosso produto retira partículas mil vezes menor que um grão de areia. Além de baixar a temperatura da água em até 5°C, sem consumo de energia elétrica”, complementou.

Conforme Neto, o filtro é composto de reservatório superior e inferior em argila, o elemento filtrante de cerâmica é fixado no reservatório superior, além da torneira e tampa. “Além da ótima qualidade da água, os reservatórios de argila baixam a temperatura da água em até 5°C”, disse ele.

    Neto afirmou que a procura por filtros de barro tem aumentado. No último ano, o aumento nas vendas foi de 16%, devido à crise hídrica e o problema com a água do volume morto.

 

   A empresa de Neto fabrica desde 1947 o filtro São João, o mais conhecido do gênero. Em 2017, a cerâmica completará 70 anos. A produção mensal da Stéfani é de cerca de 16 mil filtros, todos certificados. “Nossos produtos são certificados pelo INMETRO desde 2004. Os filtros desde 2010 só podem ser fabricados e comercializados com o certificado e selo do INMETRO”, disse o diretor superintendente da cerâmica Stéfani.

   Além da certificação dos produtos, a em presa também se preocupa com o meio ambiente. “As nossas argilas são extraídas em áreas com autorizações dos órgãos competentes, depois elas são misturadas, secas, moídas e peneiradas. Posteriormente, os nossos artesãos moldam as peças, secam a temperatura ambiente e então são queimadas em nossos formos, em um ciclo de aproximadamente 25 dias”, contou.

   O filtro de barro não prejudica em nada a qualidade da água. Porém, é recomendável que o produto seja limpo periodicamente, sem o uso de produtos químicos, e que os elementos filtrantes sejam trocados a cada 500 litros.

Fonte: Revista NovaCer Ed. 74
Fonte: Revista NovaCer Ed. 74